Atenção

Fechar
Processando...
Área Restrita
Esqueceu a senha?
Esqueci a senha
Alterar senha

Excelente notícia para os fabricantes de FPSO

20/02/2019 | Click Petróleo e Gás

33 FPSO’s serão autorizados a entrar em funcionamento até 2021 a medida com que o mercado Offshore de FPSO’s se intensifica com o aumento da produção em águas profundas de empresas como ExxonMobil, Equinor e Petrobras.

Segundo estudos da Companhia norueguesa de inteligência de petróleo e gás Rystad Energy, 33 FPSO’s (flutuantes de armazenamento e descarga de óleo) deverão estar autorizadas a operar deste ano até 2021.
A Rystad acrescenta ainda que quase a metade, ou seja 15 deles, necessitariam ter a capacidade de produção acima de 80.000 barris por dia, sinal de que a atividade offshore mundial vem se intensificando nos últimos tempos e agitando o mercado de fornecedores e construtores deste tipo de unidade.

As responsáveis por atender a esta alta demanda serão operadoras como a ExxonMobil, Equinor e brasileira Petrobras, mais precisamente dos desenvolvimentos de campos exploratórios em águas profundas na Guiana e no Brasil.
A ExxonMobil, no início deste mês, fez descobertas na Guiana, no Bloco de Stabroek quando encontrou petróleo nos poços de Tilapia-1 e Haimara-1.

Estima-se que, só nesse bloco de Stabroek, sejam necessários 5 FPSO’s afim de produzir mais de 750.000 barris de petróleo por dia até 2025 com início em março de 2020.
O campo de Liza Fase 1, também na Guiana, pertencente ao EUA, deve começar a produzir até 120.000 barris de petróleo por dia no início de 2020, com o FPSO Liza Destiny.

A fase 2 do campo de Liza terá início em meados de 2022 com um segundo FPSO projetado para produzir até 220.000 barris por dia e espera-se que a SBM Offshore construa esse FPSO.

Contribuição do Brasil

Além da brasileira Petrobras, outras investimentos são aguardados, como o da Equinor, por exemplo, que já declarou que o país de tornou “peça-chave” para a empresa, com uma produção diária atual de mais de 90.000 barris por dia e que pretende investir mais de US $ 15 bilhões no Brasil até 2030.

Para a Equinor, dependendo do sucesso de suas explorações, sua produção pode chegar a algo entre 300.000 e 500.000 barris de óleo equivalente por dia no Brasil.

As demonstrações de confiança da petrobras no mercado de FPSO’s pode ser medida pela divulgação de seu plano de negócios 2019-2023 em que reservou US $ 84 bilhões para investir.
A companhia já declarou que se concentrará em atividades de Exploração e Produção e que vai colocar 13 FPSOs em produção, sete dos quais ainda não foram encomendados.

A SBM, a maior fornecedora mundial de FPSO, já encomendou dois cascos FPSO Fast4Ward e tem planos de encomendar um terceiro em breve.
Um será usado no projeto Liza 2 da Exxon, enquanto a nova encomenda foi em função no aumento da confiança no mercado.
A SBM Offshore continua pesquisando o mercado potencial de FPSO’s em 25 países, o que pode render contratos futuros nos próximos dois ou três anos.