Atenção

Fechar
Processando...
Área Restrita
Esqueceu a senha?
Esqueci a senha
Alterar senha

Petróleo: panorama da semana de 16 a 20 de julho

16/07/2018 | Investing.com

As perspectivas de oferta global permanecerão em destaque no mercado de petróleo na próxima semana após os preços terem apresentado fortes perdas na semana passada em meio a apostas reduzidas de uma escassez global de petróleo.

A cotação do petróleo estava perto de US$ 80 o barril no final de junho e início de julho devido a interrupções na oferta da Líbia e temores de que os EUA pressionariam todos os compradores de petróleo iraniano a reduzirem as importações para zero a partir de novembro, quando os EUA reimpõem sanções contra Teerã.

Mas os preços enfraqueceram desde que a Líbia, membro da Opep, reabriu seus portos no leste e o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que Washington consideraria conceder perdão a alguns dos compradores de petróleo do Irã.

A retomada das exportações da Líbia permite o retorno de até 850.000 barris por dia de petróleo nos mercados internacionais.

O aumento da produção da Opep também pesou sobre os ânimos uma vez que o cartel do petróleo revelou na semana passada que seus membros aumentaram a produção no mês passado, o que foi liderado por um aumento na produção saudita para níveis não vistos desde o acordo de corte de produção em 2016, diminuindo as preocupações de que o mercado seria falta de óleo.

O maior exportador de petróleo do mundo e o maior produtor da Opep se comprometeu no mês passado a aumentar a produção para compensar a perda de oferta da Líbia, da Venezuela e do Irã.

No entanto, a Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) alertou que o mundo estava aquém da capacidade de oferta de reposição e, portanto, qualquer nova perturbação poderia elevar ainda mais os preços do petróleo. A organização sediada em Paris também disse que a demanda por petróleo bruto será mais no segundo semestre do ano do que anteriormente esperado.

A referência norte-americana, o petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI), fechou cotado a US$ 71,01 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York na sexta-feira. O contrato caiu para US$ 69,23 o barril na quinta-feira, um nível não visto desde 25 de junho.

As perdas na semana foram de 4,4%, sua segunda semana seguida de perdas.

Do outro lado do Atlântico, o petróleo Brent, referência global, fechou a semana cotado a US$ 75,33 o barril na Bolsa de Futuros ICE (ICE Futures Exchange) em Londres.

O Brent sofreu uma queda na semana em torno de 2,9%.

Antes da semana que está por vir, a Investing.com compilou uma lista com estes e outros eventos significativos que podem afetar o mercado de petróleo.

Terça-feira, 17 de julho

O Instituto Americano de Petróleo deverá publicar seu relatório semanal sobre a oferta de petróleo nos EUA.

Quarta-feira, 18 de julho

A Administração de Informações de Energia dos EUA deverá divulgar seus dados semanais sobre estoques de petróleo.

Sexta-feira, 20 de julho

A Baker Hughes divulgará seus dados semanais sobre a contagem de sondas de petróleo nos EUA. A contagem de sondas permaneceu estável em 863 na semana passada. A taxa de crescimento diminuiu ao longo do último mês com uma queda nos preços do petróleo do final de maio até o final de junho.